Ocorreu um erro neste gadget

Leia a Biblia - Hebreus 11:1-40

1)- ORA, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem.

2)- Porque por ela os antigos alcançaram testemunho.

3)- Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente.

4)- Pela fé Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho dos seus dons, e por ela, depois de morto, ainda fala.

5)- Pela fé Enoque foi trasladado para não ver a morte, e não foi achado, porque Deus o trasladara; visto como antes da sua trasladação alcançou testemunho de que agradara a Deus.

6) - Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.

7) - Pela fé Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu e, para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o mundo, e foi feito herdeiro da justiça que é segundo a fé.

8) - Pela fé Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia.

9) - Pela fé habitou na terra da promessa, como em terra alheia, morando em cabanas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa.

10) - Porque esperava a cidade que tem fundamentos, da qual o artífice e construtor é Deus.

11) - Pela fé também a mesma Sara recebeu a virtude de conceber, e deu à luz já fora da idade; porquanto teve por fiel aquele que lho tinha prometido.

12) - Por isso também de um, e esse já amortecido, descenderam tantos, em multidão, como as estrelas do céu, e como a areia inumerável que está na praia do mar.

13) - Todos estes morreram na fé, sem terem recebido as promessas; mas vendo-as de longe, e crendo-as e abraçando-as, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra.

14) - Porque, os que isto dizem, claramente mostram que buscam uma pátria.

15) - E se, na verdade, se lembrassem daquela de onde haviam saído, teriam oportunidade de tornar.

16) - Mas agora desejam uma melhor, isto é, a celestial. Por isso também Deus não se envergonha deles, de se chamar seu Deus, porque já lhes preparou uma cidade.

17) - Pela fé ofereceu Abraão a Isaque, quando foi provado; sim, aquele que recebera as promessas ofereceu o seu unigênito.

18) - Sendo-lhe dito: Em Isaque será chamada a tua descendência, considerou que Deus era poderoso para até dentre os mortos o ressuscitar;

19) - E daí também em figura ele o recobrou.

20) - Pela fé Isaque abençoou Jacó e Esaú, no tocante às coisas futuras.

21) - Pela fé Jacó, próximo da morte, abençoou cada um dos filhos de José, e adorou encostado à ponta do seu bordão.

22) - Pela fé José, próximo da morte, fez menção da saída dos filhos de Israel, e deu ordem acerca de seus ossos.

23) - Pela fé Moisés, já nascido, foi escondido três meses por seus pais, porque viram que era um menino formoso; e não temeram o mandamento do rei.

24) - Pela fé Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó,

25) - Escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus, do que por um pouco de tempo ter o gozo do pecado;

26) - Tendo por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa.

27) - Pela fé deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como vendo o invisível.

28) - Pela fé celebrou a páscoa e a aspersão do sangue, para que o destruidor dos primogênitos lhes não tocasse.

29) - Pela fé passaram o Mar Vermelho, como por terra seca; o que intentando os egípcios, se afogaram.

30) - Pela fé caíram os muros de Jericó, sendo rodeados durante sete dias.

31) - Pela fé Raabe, a meretriz, não pereceu com os incrédulos, acolhendo em paz os espias.

32) - E que mais direi? Faltar-me-ia o tempo contando de Gideão, e de Baraque, e de Sansão, e de Jefté, e de Davi, e de Samuel e dos profetas,

33) - Os quais pela fé venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam as bocas dos leões,

34) - Apagaram a força do fogo, escaparam do fio da espada, da fraqueza tiraram forças, na batalha se esforçaram, puseram em fuga os exércitos dos estranhos.

35) - As mulheres receberam pela ressurreição os seus mortos; uns foram torturados, não aceitando o seu livramento, para alcançarem uma melhor ressurreição;

36) - E outros experimentaram escárnios e açoites, e até cadeias e prisões.

37) - Foram apedrejados, serrados, tentados, mortos ao fio da espada; andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, desamparados, aflitos e maltratados

38) - (Dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, e montes, e pelas covas e cavernas da terra.

39) - E todos estes, tendo tido testemunho pela fé, não alcançaram a promessa,

40) - Provendo Deus alguma coisa melhor a nosso respeito, para que eles sem nós não fossem aperfeiçoados.

PRINCÍPIOS DE LIDERANÇA NA BÍBLIA

Encontre na Bíblia passagens que mostram a gestão de líderes em diversas situações

A ética e a moral devem ser a marca de quem é lider. Afinal, um bom gestor, antes de tudo, deveria ser um bom exemplo, alguém que inspira e motiva seus liderados ao progresso e ao mútuo respeito, onde todos podem aproveitar seus talentos e capacidades para o bem comum. O livro mais sábio que existe, a Bíblia, tem várias assertivas sobre as boas práticas de gestão e liderança. Compartilho com você os resultados da minha pesquisa, mencionando algumas passagens correspondentes (as siglas dos livros estão ao final do artigo):

Honestidade e integridade, sem as quais, a liderança é destrutiva e perniciosa – Lc 16.10-12, Mt 24.45-51, Pv 22.1

Trate os que estão sob sua liderança como gostaria de ser tratado – Lc 6.31

Planejar é parte das atividades exigidas de um líder – Lc 14.28-30

Gestão implica em zelo profissional – Pv 22.29, Pv 24.3 e 24.30-34, Ec 9.10

Utilize-se de boas práticas, e da ética – Pv. 28.10

Um bom gestor é alguém que ganha a confiança dos liderados – Pv 28.12

Bajulação não é técnica de administração – Pv 28.23

Emotividade exposta pode indicar problemas de liderança – Pv 29.11

Orgulho é um mau hábito de quem lidera – Pv 29.23

Nunca humilhe alguém em público – Pv 30.10

Tratar a todos com justiça e equidade – Cl 4.1

Abandone práticas arcaicas e incorretas – Pv 4.13-15

Preguiça e negligência são a certeza do insucesso - Mt 25.14-30 - Parábola dos Talentos Não tente fazer tudo sozinho – delegue tarefas! Ex 18.14-26

Um verdadeiro líder deve servir, e não procurar servir-se dos seus liderados – Mc 10.42-45 Aconselhar-se, quando o assunto é complexo, e ouvir opiniões, não é sinal de fraqueza ou incapacidade, mas de sabedoria – Pv. 15.22.

Siglas dos livros bíblicos utilizados como referência: Cl = Colossenses Ec = Eclesiastes Ex = Êxodo Lc = Lucas Mc = Marcos Mt = Mateus Pv = Provérbios

A voz do Senhor clama à cidade

Miquéias 6.9: “A voz do Senhor clama à cidade, e o que é sábio temerá o teu nome. Escutai a vara, e quem a ordenou”.

A voz do Senhor clama à cidade – quem são os que têm bom ouvido para escutar? A voz do Senhor clama à cidade – quem são os que têm bom coração para segui-lo? Quando leio este versículo, lembro-me de Isaías no templo de Jerusalém, respondendo a pergunta do Senhor, de quem enviaria, ao que ele respondeu: envia a mim! A voz do Senhor continua a nos exortar todos os dias para seguir o seu clamor por conversão de vida. Através de seus servos, Ele tem clamado nos quatro cantos de nossas cidades, por transformação de vida. Mas o profeta responde a afirmação dizendo que: apenas os sábios temerão o seu nome. O Senhor tem nos exortado a refletir sobre o porquê do nosso afastamento. Ele tem nos enfadado? A sua proposta já não nos atende mais? Esquecemos das bênçãos que recebemos, dos momentos de adoração que vivemos? Escutai todos vós, diz o Senhor, pois estou clamando à vossa cidade, aos vossos ouvidos, para que reflitam sobre a vossa conduta e o vosso descomprometimento com o Reino de Deus. Os homens têm perdido seu tempo levando holocaustos à sua presença, como se Ele precisasse dos nossos presentes para nos amar mais, ou como se Ele precisasse de nossos sacrifícios para responder as nossas orações. O Senhor tem nos chamado a uma concepção de vida completamente nova. Enquanto os homens confiam em suas próprias capacidades, nós devemos continuar confiando no Deus de nossa salvação, porque Ele nos ouvirá. Enquanto os homens querem palpar as bênçãos, nós esperamos nas coisas que não enxergamos e temos certeza nas coisas que estão por vir. O Senhor será a nossa entrada e a nossa saída; o nosso querer e o nosso agir; o nosso caminho, a nossa verdade e a nossa vida, porque n’Ele todas as coisas foram criadas e nada sem Ele foi realizado. A voz do Senhor continua a clamar à cidade – venham e vejam, pois os meus pensamentos são maiores e melhores que os seus, a fim de conceder todo o bem que necessitais.

Que o Senhor abra os nossos ouvidos e amoleça o nosso coração para que possamos compreender a Sua voz e viver na Sua vontade. 

Ednaly Olegário
M12 da Rede Jovem

O Senhor nos ensina o caminho a seguir

Salmo 25.12: “Qual é o homem que teme ao Senhor? Este lhe ensinará o caminho que deve escolher”.

Todas as vezes que não permiti que o Senhor guiasse meus passos, cometi sérios erros. Quando nós andamos segundo nossas próprias escolhas, caímos nas armadilhas da cobiça que toma os nossos olhos, da tentação que muda o nosso pensar e agir, e terminamos andando pelo campo minado do pecado. A resposta à pergunta do salmista revela a consequência da vida daquele que teme ao Senhor. O homem que teme Deus, não por medo d’Ele, mas pelo dissabor de viver sem a manifestação da graça de Deus. Uma vida “desgraçada” é algo tão sem sentido, que nos faz perder todo o senso de bom e ruim que temos como parâmetro. Um homem que teme ao Senhor, parte do princípio que o seu caminho não pode ser percorrido sem a mão poderosa e abençoadora do Pai a lhe indicar a direção. Muitos ficam em dúvida como andar neste caminho do Senhor, entretanto, creio que o caminho do Pai tem algo a ver com a afirmação de Jesus: “quem me conhece, segue a minha voz”. Talvez, por não conhecê-lo, temos dificuldades de seguir no caminho que Ele nos ensina todos os dias. Um caminho que transforma toda a nossa concepção de vida a partir da mudança dos nossos próprios pensamentos e sentimentos. Paulo nos exorta a mudar a mente e o coração, através da Palavra de Deus. Quando mudamos nossos conceitos, mudamos a história de nossa vida, a forma como nos relacionamos com as pessoas e, principalmente, como enxergamos o caminho e ouvimos a voz de Deus em nosso dia a dia. Se existe uma forma para fazer nova todas as coisas, esta forma atende pelo nome de Jesus Cristo. Quando permitimos que seu Espírito guie as nossas escolhas, elas serão feitas conforme os seus ensinos, de acordo com a sua vontade, através do seu testemunho, que mudou e muda, todos os dias, a face da terra, através da ação de seus servos. Pode ser que não estejamos enxergando esta mudança, mas o Senhor Jesus continua a agir em nossa existência. É só partilhar desta relação transformadora.

Que o Senhor nos guie por seu caminho, indique a direção que devemos seguir e a forma como devemos agir. Que os nossos pés estejam sempre prontos a andar em teus caminhos e as nossas mãos a serví-lo. 

Deus os abençoe poderosamente!
Ednaly Olegário
M12 Rede Jovem

Ensinar nossos filhos a seguir os caminhos do Senhor.

1ª Samuel 3.19: “Samuel crescia, e o Senhor era com ele e não deixou nenhuma de todas as suas palavras cair em terra”.

A história do nascimento de Samuel tem uma beleza espiritual maravilhosa. Uma mulher que não podia ter filhos, numa época em que não tê-los seria considerada uma maldição divina. Ela clama a Deus por sua misericórdia e compaixão, prometendo entregar a criança aos cuidados dos sacerdotes, assim que ela desmamasse. O Senhor ouve o seu clamor e Samuel nasce em meio a esta trama espiritual. Ele foi, desde criança, escolhido como profeta pelo Senhor. Desde muito cedo, Samuel tinha uma comunhão com Deus inigualável, e esta tornou-se a marca maior de sua vida. Ele cresceu e, como diz o versículo, Deus era com ele e não o deixou em momento algum. Muitos do que recebem este devocional, ainda não têm filhos e não sabem, por enquanto, a maravilhosa alegria em ser pai ou mãe. Ter uma criança nos braços, fruto da benção divina da geração de filhos é algo inigualável, só comparado a alegria de tomar para si filhos que a vida deixou órfão. Entretanto, ter um filho, ou adotá-lo, é maravilhoso, mais, ainda, é vê-los crescer sob a direção do Senhor Jesus. O salmista nos faz refletir sobre esta condição ao afirmar que os nossos filhos são a herança de Deus para nós e, por isso, devemos ter todo o cuidado com eles. Ensiná-los no caminho do Senhor para que eles cresçam como Samuel cresceu, em graça e santidade diante de Deus e de todos os homens. Todos os pais desejam que seus filhos se tornem adultos íntegros e com uma grande capacidade para enfrentar os desafios da vida. Por isso, nada melhor do que ensiná-los em seu caminho, conduzi-los pela prática da sua verdade, para que vivam segundo a vontade de Deus. Esta deve ser a nossa missão como pais: ensiná-los através de nossa prática de vida no caminho do Senhor. Se assim o fizermos, eles crescerão com graça e com santidade, permitindo que todos louvem o Senhor pelo testemunho de suas vidas.

Que o Senhor nos dê sabedoria suficiente para andarmos debaixo da verdade, para que sejamos testemunhas dEle neste mundo. Que os nossos filhos possam viver em honra e glória para o Senhor, sendo bênção na vida de todos.

Deus os abençoe!
Ednaly Olegário
M12 da Rede Jovem

Pense nas coisas de Deus

Colossenses 3.2-3: “Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra; porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus”.

Paulo nos exorta a dedicar a Cristo todas as faculdades intelectuais e contemplativas da nossa alma. A nossa essência deve estar voltada para as coisas que são do Pai, pois Ele espera de nós uma dedicação exclusiva de tal intensidade, que todo nosso ser possa estar envolvido no compromisso de sermos suas testemunhas nesta terra. Pensar nas coisas lá do alto, ou seja, de Deus, é colocar nossa mente à disposição dEle para sua obra. É conduzir nossas vidas segundo os propósitos do Senhor e não sob os propósitos de nosso coração. Enquanto a nossa mente não estiver limpa das coisas que são da terra, nós estaremos presos à nossa própria condição carnal. Precisamos nos libertar deste mundo que nos aprisiona com suas tentações que nos fazem tirar o foco da vida que o Senhor nos propõe. A vida que tínhamos, antes de conhecer a Cristo, nos aprisionava em nossas próprias limitações. Precisamos transferir os nossos pensamentos das coisas da terra e colocá-los nas regiões celestes em Cristo Jesus. A nossa vida está agora oculta em Deus, ou seja, ela está livre das tensões da corrupção de uma vida secular e, portanto, se nossa segurança depende de Cristo, o nosso caminhar também deve estar sob a sua direção, pois a nossa vida espiritual está sob seu senhorio. Estar em Cristo é viver o melhor de Deus para nossa vida e, portanto, devemos construir toda a nossa espiritualidade sob esta atitude: colocar nossa mente, nossa alma e nosso ser nas coisas lá do alto, porque n’Ele encontraremos segurança.

Que Deus nos ajude a viver com os nossos olhos e pensamentos voltados a Ele, de forma tal, que toda nossa vida esteja sob a Sua direção e amparo. Que façamos morrer a velha natureza terrena, para sermos semelhantes a Jesus. 

Deus os abençoe!
Ednaly Olegário
M12 da Rede Jovem

CONSOLIDAÇÃO IBCJ

PERFIL NO ORKUT (clique aqui)

Somos um ministério cheio da graça de DEUS, coberto do Sangue de JESUS e abençoado por nosso Apostolo Davi Sérgio de Farias.
♥ Amamos a Nossa Cidade Jaboatão dos Guararapes e temos Certeza que vamos conseguir-la para JESUS!
 Pra quem nos Visita e Não sabe oq é consolidação Tá ai a resposta....!
Consolidação = É o ato de tomar um novo crente como se fosse filho, e cuidar bem dele com toda atenção, imprimindo o caráter de Cristo nele, fazendo-o produzir frutos que permaneçam para a glória de Deus.
Tudo isso feito por amor e obediência, pois Jesus nos ensinou a cuidar dos que padecem.
" Nenhum agricultor que trabalha arduamente na tarefa de semear os grãos, adubar, limpar,  cuidar do plantio, jamais deixará que os frutos se percam, antes colherá cada um deles. Portanto, consolidar é colher os frutos e entrega-los nas mãos do nosso Senhor Jesus! Jesus não quer que ninguém desista e se perca, mas que todos sejam consolidados e firmados na Sua Palavra, nos Seus caminhos!

DEUS abençoe a TODOS

Sujeitai-vos a Deus!


Tiago 4.7-8: “Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós outros. Purificai as mãos, pecadores; e vós que sois de ânimo dobre, limpai o coração”.
Tiago continua sua tese espiritual de que, a presença do pecado em nossa vida e da ação do nosso inimigo, é inversamente proporcional ao nosso desejo de nos achegar a Deus e nos sujeitar à sua vontade. Todas as vezes que buscamos a Deus, Ele se chegará a nós. Todas as vezes que permitimos a sua verdade purificar as nossas mãos e o nosso coração, o diabo e a sua ação maligna não terá vez em nossa vida. Porém se você perguntar a todas as pessoas se elas não desejariam esta condição santa, creio que todas elas, com poucas exceções, diriam que desejariam. Então por que não acontece isso? A resposta vem do próprio apóstolo que nos diz que temos: “um ânimo dobre”. Um ânimo que não tem firmeza para conseguir seus intentos. Um ânimo que não consegue se manter no caminho, perseverando em busca de sua felicidade. Um ânimo que não consegue vencer aos seus próprios desejos maus sozinho, porque não tem força em si mesmo. E, principalmente, um ânimo que não acredita na graça de Deus em nós. A graça que perdoou nossos pecados e nos fez viver novamente na presença d’Ele, através da vida de Jesus. Um ânimo que nega esta presença, ao mesmo tempo em que a deseja. Um ânimo que precisa ser dirigido pelo seu Espírito Santo, mas que prefere ser dirigido por seus próprios prazeres. A purificação de nossa alma e do nosso coração só será possível quando este ânimo for dominado pela presença do Espírito Santo de Deus em nossa vida. Enquanto isso não acontece, seremos homens e mulheres de ânimo dobre, porque não cremos na transformação que Jesus pode realizar em nossa vida.

Que a presença de Deus em nossa vida, nos faça vencer a luta contra nossa própria natureza, que muitas vezes, nos deixa parados em nosso crescimento espiritual. Que o Senhor nos dê forças e fé para nunca negar a graça de Deus em nossa vida. 

Deus os abençoe poderosamente!
Ednaly Olegário
M12 da Rede Jovem

Ministério de Artes Rede Jovem IBCJ

Rede Jovem 11/11/2010

Hebreus 11.39-40: “Ora, todos estes que obtiveram bom testemunho por sua fé não obtiveram, contudo, a concretização da promessa, por haver Deus provido coisa superior a nosso respeito, para que eles, sem nós, não fossem aperfeiçoados”.

Graça e paz jovens valentes!!!

Estamos preparados para viver uma vida inteira na presença do Senhor e não alcançar, em vida, a concretização de algumas de suas promessas? Será que a nossa fé resiste a uma vida apenas de esperanças sem, contudo, provar da concretização das promessas do Senhor? Conheço muitas pessoas que viveram uma vida inteira orando pela salvação de entes queridos, mas, só depois de sua morte, estes vieram aceitar Jesus com Senhor de suas vidas. O aperfeiçoamento de sua fé veio com o final da carreira, pois, neste momento, a sua fé foi honrada. Talvez muitas promessas que o Senhor tem nos feito, só sejam concretizadas depois que a nossa fé alcance a coroa da justiça, guardada para todos aqueles que completem a carreira proposta. Muitos não conseguem alcançá-la, porque não tiveram perseverança em manter a fé firme em seus corações. Abraão, apesar de ser um herói da fé, não viu seus filhos na mesma quantidade das estrelas do céu. Como ele, muitos não verão a concretização das promessas do Senhor. Viver apenas pela fé é provar as promessas de Deus, antes mesmo delas serem concretizadas. Por isso, como muitos acreditam, a obtenção de um bom testemunho de fé não nos dá a certeza de provar das suas promessas. A fé que move o nosso coração deve ser suficientemente verdadeira, de forma que, mesmo quando todas as coisas que esperamos no Senhor não se concretizarem, ela se mantenha firme. A nossa fé deve estar posta no doador da esperança, naquele que nos possibilita viver na certeza de que todas as coisas, sejam elas boas ou não, cooperam conjuntamente para nosso bem. É nesta fé que seremos aperfeiçoados e é através dela que alcançaremos a remissão de nossos pecados e vida na presença de Deus.

Deus os abençoe poderosamente!
Bom feriado a todos!

Ednaly Olegário
M12 Ministerial da Rede Jovem IBCJ

2ª Samuel 12.7 e 9: “Então, disse Natã a Davi: Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Eu te ungi rei sobre Israel e eu te livrei das mãos de Saul; por que, pois, desprezaste a palavra do Senhor, fazendo o que era mal perante ele?”.

A exortação do profeta revela onde Davi havia errado. Muitas vezes, paramos de crescer, não conseguimos mais orar, passar um tempo na presença do Pai, fazer parte de uma comunidade de fé, muito menos permitir que o Senhor tome conte de nossa vida e direcione nossos passos. Perdemos a capacidade de comungar com o Senhor e desprezamos a influência da sua palavra sobre a nossa vida, terminando por andar em caminhos que não são os que o Jesus nos indicou. O profeta Natã exortou Davi a refletir onde havia caído e voltar ao primeiro amor. Não podemos perder a capacidade de sacrificar os nossos desejos, pois se assim o fizermos, estaremos nos afastando da vontade de Deus. Davi pecou em permitir que seus desejos governassem a sua vida e, assim, foi criando todo tipo de artimanha para poder encobrir seu erro. Davi cometeu o pior dos enganos, subestimou o poder da cobiça, confiando na sua capacidade de controle sobre as tentações. Nós, muitas vezes, também cometemos este erro. Acreditamos que podemos controlar a força destruidora da cobiça que existe em nós, e terminamos caindo em tentação. O apóstolo Tiago nos exorta a tomar conta da nossa cobiça, pois ela pode nos conduzir por caminhos de perdição. Para proteger-nos desta força maligna, não devemos desprezar a força e a direção que a palavra do Senhor nos dá, pois só ela poderá nos alimentar e produzir fé suficiente para nos manter íntegros diante de Deus e dos homens. Tiago continua a nos ensinar que todas as coisas boas que recebemos vem de Deus, pois sendo invariável em sua natureza, não haverá sombra de mudança em sua bondade. Portanto, não podemos descuidar do nosso relacionamento com Ele, do fortalecimento da nossa fé, porque, a cada dia que nos afastarmos de Deus, mais estaremos vulneráveis às armadilhas que o nosso inimigo colocará sobre nós, na tentativa de nos desviar do caminho do Senhor, da verdade que nos liberta de nossa própria cobiça e da vida na presença do Pai que deve ser o nosso objetivo maior.

Amado Deus, não permita que nos afastemos de tua presença, pois somente em ti, poderemos construir uma fé capaz de vencer as tentações advindas de nossa própria cobiça; que nos afasta de ti e termina nos levando por caminhos de destruição. É o que te pedimos em nome de Jesus. Amém!

Salmos 43.3: “Manda a tua luz e a tua verdade para que elas me ensinem o caminho e me levem de volta a Sião, o teu monte santo, e ao teu Templo, onde vives”.

Todos aqueles que começam sua vida cristã, ou quem tem uma fé, tipo “montanha russa”, têm dificuldade em confiar que Deus providenciará tudo que for necessário para saciar suas necessidades. Vivemos o mesmo drama do povo de Israel: “será que Ele providenciará uma mesa no deserto?” Deus enviou o maná todos os dias e em nenhum dia eles ficaram sem alimento. Nos 40 anos que vagaram pelo deserto, fruto da sua falta de fé, eles provaram da provisão de Deus. Muitos têm os mesmos sentimentos de desconfiança, de que Ele não será capaz de prover o nosso sustento. Falta-nos fé para confiar na providência de Deus. Não entregamos nossas vidas ao senhorio de Jesus, porque achamos que podemos cuidar dela melhor do que Ele. Não damos o dízimo, porque cremos que irá faltar dinheiro no final do mês, ou porque a igreja e os pastores não são confiáveis. Não evangelizamos determinada pessoa, porque achamos que ela é tão errada que nem Deus conserta. Ou seja, vamos colocando a nossa vontade e desejos acima da vontade de Deus. Falta-nos fé! Falta-nos confiança de que Deus supre nossas necessidades todos os dias. Não cremos que a sua vontade, seus desejos, seus pensamentos são melhores que os nossos e que Ele saberá cuidar de nós melhor que nós mesmos. Não confiamos que, ao ofertar-lhe o nosso dízimo, estaremos confiando em Sua provisão e, principalmente, estaremos rendendo ação de graças pelo trabalho que nos dá o sustento de todos os dias. E que, ao entregarmos a Igreja e seus líderes a responsabilidade de cuidar das ofertas do Senhor, eles prestarão conta delas diante de Deus. Ao não evangelizarmos, estamos dizendo a nós mesmos que o Jesus, ao qual servimos e amamos, não é suficiente para as outras pessoas e, por isso, não precisamos falar-lhes de sua graça. Falta-nos fé! E aonde encontrá-la? A fé vem pelo conhecimento da verdade. A fé vem pelo ouvir a palavra de Deus. A fé é a expressão humana de confiança num Deus que tudo supre, tudo pode, que faz novas todas às coisas e mesmo que não vejamos, pois já providenciou todas as nossas necessidades. A fé é o que move as bênçãos de Deus para nossas vidas, pois sem ela é impossível agradá-lo!
 
Pai querido, perdoa-nos a falta de fé. Dá-nos conhecer a tua palavra para que possamos viver as nossas vidas com nossos olhos sempre voltados para tua face, confiando em tua Providência e dando-te graças por tudo que de ti recebemos. Te agradecemos em nome de Jesus. Amém!

ORE, DIVULGUE E PARTICIPE!!!!!!!!!

Graça e paz povo de Deus!

Como tinha sido divulgado que a rede seria no sábado devido a um casamento que haveria na sexta, estamos retificando a data. A nossa próxima Rede Jovem será no dia 11/11 (Quinta-feira), pois teremos casamento na igreja na Sexta-feira e no Sábado.
Venha, traga seus amigos e familiares!
Será uma noite poderosamente abençoada!!!!!!!!!!

Qualidades de um Discípulo



Lucas 14:26 e 27

1. Um discípulo deve ter a certeza da salvação. Deve saber que é um filho de Deus, que Cristo mora dentro dele.


2. Um discípulo anda na plenitude e poder do Espírito Santo. O Espírito Sagrado é responsável para tudo que acontece na vida de um crente: seu novo nascimento, andar diário, compreensão das Escrituras e orações. Ele produz o fruto do Espírito em nós, que nos capacita a ter vidas santas e a testemunhar de Cristo.

3. Um discípulo demonstra amor a Deus, aos seus líderes, seus vizinhos, seus irmãos e seus inimigos. Jesus manda-nos amar a Deus de todo nosso coração, com toda nossa alma, com toda a nossa mente, e Ele também nos manda amar nosso próximo como a nós mesmos.

4. Um discípulo é alguém que sabe como ler, estudar, memorizar e meditar na Palavra de Deus, esconder suas verdades no seu coração. É impossível andar na plenitude de Espírito Santo de Deus sem um entendimento de Sua Palavra. O contrário é também verdadeiro: você não pode compreender a Palavra de Deus sem o Espírito Santo.

5. Um verdadeiro discípulo de Jesus é um homem ou mulher de oração. O Senhor Jesus Cristo, que gastou 40 dias em oração e jejum no deserto, é nosso grande exemplo disto.

6. O discípulo é alguém obediente, que estuda a Palavra de Deus e obedece aos Seus mandamentos num estilo de vida que honra o Senhor Jesus Cristo.

7. Um discípulo é alguém que confia em Deus e leva uma vida de fé. As Escrituras lembram-nos isso: “Sem fé é impossível agradar a Deus”.

8. Um discípulo entende a graça de Deus. Deus ama-nos incondicionalmente, se nós o obedecemos ou não. Isto é o contrário do legalismo, a heresia primária da vida cristã, que nos aconselha a tentar obedecer às leis do Deus em nossa própria sabedoria, força, e poder.

9. Um discípulo é alguém que testemunha de Cristo como um modo de vida. Como cristãos devemos dar frutos, de acordo com João 15:8. Isto inclui tanto o fruto de almas levadas ao reino de Cristo como o fruto do Espírito (Gl 5:22).

10. Um verdadeiro discípulo do Senhor Jesus adora a Deus no companheirismo da Sua igreja. É envolvido em Sua Igreja através do estudo, adoração, oração, testemunho e a mordomia do seu tempo, talento e tesouro (ou seja, ele sabe que o tempo, talento e tesouro pertence a Deus, pois isso é mordomo, pois cuida daquilo que é de Deus, então administra seu tempo, talento e tesouro para honrar a Deus)

João 15:7 “Se permaneceres em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito”.

João 15:14 “Vós sois meus amigos, se fazeis o que eu vos mando”.

Todo discípulo agrada ao Mestre, pois este se torna amigo de Jesus e tudo o que quiser será feito.

Pense nisto e veja a grande oportunidade que Deus ainda está te dando para ser um discípulo de seu Filho Amado Jesus. Receba-o agora em sua vida e vá ao Encontro com Deus.

Jesus, o único Caminho!

Números 6.8: “Enquanto for nazireu, ele está separado para o serviço de Deus, o Senhor”.

O Senhor sempre chamou homens e mulheres para consagrarem suas vidas a Ele durante certo período para um propósito especial. Entretanto, estes servos escolhem abrir mão de suas aspirações, desejos, sonhos e planos de vida, para progredirem em sua relação com o Pai. Para que possamos aplicar estes princípios do nazireado em nossa vida, precisamos romper com a superficialidade da vida moderna e absorver as disciplinas espirituais que nos farão alcançar a plenitude de uma vida com Cristo. Todos os que buscam encontrar esta plenitude têm como características, uma capacidade maior de disciplina, perseverança e, principalmente, uma fé que move o coração e a mente em busca das promessas de Deus. O Senhor nos chama a viver uma vida de liberdade e não apenas de servidão. Ele nos mostra que uma vida com Cristo é uma vida livre de ansiedades, onde a nossa maior prioridade deve ser buscar o reino de Deus antes de qualquer coisa, crendo, firmemente, que todas as nossas necessidades serão supridas em Cristo. Assim, somos exortados pelo Senhor a confiar a nossa vida em suas mãos bondosas, construindo a cada dia o nosso caráter tendo como firme fundamento a vontade de Deus. Uma vida onde a simplicidade está em cada um dos nossos atos, afastando a tentação de sempre adquirir. Vivendo assim, tomaremos decisões racionais e sadias sem sofrer as pressões de ter que agradar as pessoas e nem tentar produzir uma imagem diferenciada para os outros. Uma vida separada para Deus exige de nós escolhas especiais a cada momento, de forma que as nossas atitudes referendem a nossa preparação para o serviço que foi colocado em nossas mãos. Ser santo é capacidade de viver num padrão mais elevado de conduta espiritual, sacrificando alguns desejos e vontades, não por se considerar melhor que os outros, nem para julgar ninguém, mas para poder enfrentar as tentações de um mundo que jaz no maligno. Ser santo como o Senhor é Santo, deve ser a nossa meta, de forma que, partilhando a vontade e o amor Deus com todos, o façamos conhecido de todos através de nossa vida.

Senhor amado, permite que a nossa vida possa encontrar honra e louvor diante de ti. Que os nossos atos encontrem o respaldo de verdade diante da tua palavra e as nossas ações expressem o teu amor por todos. É o que oramos em nome de Jesus. Amém!

Levítico 1.1-2: “Chamou o Senhor a Moisés e, da tenda da congregação, lhe disse: Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Quando algum de vós trouxer oferta ao Senhor, trareis a vossa oferta de gado, de rebanho ou de gado miúdo”.

Quem lê o livro de Levítico, observa que Deus ensina a Moisés uma série de atos que construíram todo o sistema de adoração, oferta e sacrifícios que o povo judeu viveu até a destruição do templo de Jerusalém. Entretanto, por mais incoerentes e primários que sejam aqueles rituais, vendo-os com os nossos olhos contemporâneos, precisamos estudá-los sob a ótica de que Deus nunca nos ensina algo que não tenha um objetivo claro por detrás. Todas as vezes que leio estes ensinos, reflito na minha capacidade de ofertar. Sou capaz de me purificar diante dos pecados que cometo? Sou capaz de abrir mão dos bens materiais que conquistei e ofertá-los como prova de amor e louvor a Deus? Penso que é possível fazer ofertas todos os dias ao Senhor pelos pecados e ofensas que cometamos, principalmente, ofertando restituição àqueles a quem prejudicamos. É importante abrir mão das nossas posses de verdade e oferecer a outra face, dando a devida atenção para ouvir a(s) pessoa(s) que nos confronta(m). Aqueles sacrifícios que Deus ensinou ao seu povo, nada mais eram do que a possibilidade de refletir sobre as nossas atitudes e perceber que sempre existirá uma solução para os problemas que defrontamos na vida. Não há como deixar de observar que através de cada um daqueles sacrifícios, a mão de Deus está nos conduzindo ao coração das outras pessoas, permitindo que todos nós pudéssemos viver em harmonia e paz. Podemos, sim, viver em paz com nosso próximo, desde que percebamos que somos todos iguais diante de Deus, independente da forma que vivamos e partilhemos a nossa própria fé. Os judeus não entenderam desta forma, só deram valor à frase: sois o povo escolhido de Deus. Com isso, tentaram se impor como o “único povo de Deus”, esquecendo que todos nós somos feituras d’Ele, carentes da graça como todo pecador e, portanto, sujeitos a ação misericordiosa de Jesus. Os cristãos não podem cometer o mesmo erro, sob pena de terminarem da mesma forma, com os olhos cegos, ouvidos surdos, corações duros e a mente fechada para o Senhor.

Querido Pai, ajuda-nos sempre a compreender a tua ação em nossa vida sob qualquer ato que cometemos. Que as nossas atitudes sejam sempre para honrar e louvar o teu nome, permitindo que todos conheçam que tu vives em nós, assim como vivemos em ti. É o que te pedimos em nome de Jesus. Amém!

Êxodos 3.11-12: “Então, disse Moisés a Deus: Quem sou eu para ir a Faraó e tirar do Egito os filhos de Israel? Deus lhe respondeu: Eu serei contigo; e este será o sinal de que eu te enviei: depois de haveres tirado o povo do Egito, servireis a Deus neste monte”.

Todos aqueles que são chamados por Deus para uma obra diferenciada em seu favor, tem esta mesma desculpa para se livrar da missão: quem sou eu para fazer esta obra? Com Moisés não foi diferente do que foi comigo e talvez do que seja com muitos que o Senhor está chamando para cumprir a missão que Ele nos confiou. Também não foi e talvez nunca seja diferente a nossa resposta, porque sempre nos acharemos indignos para sermos instrumentos do Senhor. A grande diferença não está em nos acharmos dignos, honrados e merecedores desta escolha do Senhor, mas em confiar n’Ele acima de todas as coisas. Não importa quem nós somos, a nossa capacidade ou não, o que importa é que Ele será conosco. Em todos os momentos o seu sinal estará conosco e a nossa vida, as obras de nossas mãos e tudo que passaremos a ser ou não, será por causa de sua presença ao nosso lado. Por melhores que sejamos, ou por mais incapazes que acreditamos ser, o Senhor é quem nos dá forças, unção e alegria para vencer os desafios que nos são dados por Ele. Não há nada igualável a viver a missão que o Senhor nos confia. Moisés passou quarenta anos na casa de Faraó, mais quarenta vivendo com seu sogro, agora o Senhor o chama a uma nova situação em sua vida: retirar o seu povo das mãos do Faraó. O homem que tinha um coração amargurado era agora chamado para tomar coragem e enfrentar face a face seu maior opositor e perseguidor. Ele teria de encarar o filho do rei do Egito que um dia desejou matá-lo. Como seria recebido? Será que o filho de seu desafeto teria o mesmo interesse do seu pai? Moisés enfrentou sua missão e tornou-se grande diante de Deus e dos homens, principalmente diante do rei do Egito. Sua vida tornou-se o maior exemplo de comunhão e de fidelidade para com seu Deus. Que nós consigamos vencer os nossos temores e dúvidas, para nos colocarmos à disposição do Senhor e sermos instrumentos d’Ele para sua glória.

Senhor querido, perdoa a nossa fraqueza de fé e confiança de que em tuas mãos a nossa vida sempre tenha o melhor caminho. Dá-nos forças para vencer os desafios que tu nos propõe a viver. Que a nossa vida seja usada para tua glória e louvor. É o que oramos em nome de Jesus. Amém!

Equipe de Louvor adorando ao Senhor na Rede Jovem

Gênesis 22.12-14: “O Anjo disse: Não machuque o menino e não lhe faça nenhum mal. Agora sei que você teme a Deus, pois não me negou o seu filho, o seu único filho. Abraão olhou em volta e viu um carneiro preso pelos chifres, no meio de uma moita. Abraão foi, pegou o carneiro e o ofereceu como sacrifício em lugar do seu filho. Abraão pôs naquele lugar o nome de “O Senhor Deus dará o que for preciso”.

Uma vida com Deus sempre exigirá de nós uma cota de sacrifício que precisamos estar dispostos a pagar. Abraão sempre foi um homem temente a Deus e sempre buscou realizar a sua vontade. Entretanto, Deus pediu que ele lhe desse algo que faria toda diferença na relação de Abraão com o Senhor – o seu filho Isaque. Imagino Abraão tomando seu filho e caminhando até o monte Moriá. Quantos pensamentos perturbadores devem ter passado por sua cabeça, quantas dúvidas, medos e uma grande incerteza: sacrificar o filho, seu único filho, em louvor a Deus, seria a coisa certa a fazer? Antes de nos perguntar se faríamos a mesma coisa, devo reconhecer que seria quase impossível que fizéssemos tal coisa. Até porque não creio que o Senhor precise de algo desta magnitude para comprovar a nossa fé. Entretanto, sempre teremos que confiar na palavra d’Ele, pois o Senhor Deus, no momento apropriado, nos dará o que for preciso. Diante desta promessa, como devemos interagir com a fé? Como se dará a nossa relação com Deus e com sua providência? Creio que, apesar de toda dúvida, Abraão caminhou até o monte Moriá com o coração cheio de esperança de que Deus daria o que fosse preciso, mesmo que fosse apenas um consolo em meio à sua tribulação. Muitos caminham pelas estradas da vida sem esperança, sem nenhuma fé no coração, esperando apenas que as consequências de seus atos, habilidades e conhecimento possam ser suficientes para supri-los. Mas Deus nos mostra que Ele nos dará sempre o que precisamos, se confiarmos em sua providência e no seu cuidado. Entretanto, o Senhor nos mostra que em meio à nossa luta diária de vida, existirão momentos onde o sacrifício exigirá muito mais do que uma simples esperança, mas uma fé inabalável na providência e no cuidado divino. Neste dia, como Abraão, provaremos de uma nova perspectiva de vida, suprida pela bondade e pelo amor do Senhor.

Pai de amor e bondade, ajuda-nos a provar da plenitude de tua bondade e o suprimento de tua providência. Que as nossas necessidades sejam supridas em qualquer momento por tuas bondosas mãos. É o que te pedimos em nome de Jesus. Amém!

Gênesis 6.17-18: “Porque estou para derramar águas em dilúvio sobre a terra para consumir toda carne em que há fôlego de vida debaixo dos céus; tudo o que há na terra perecerá. Contigo, porém, estabelecerei a minha aliança; entrarás na arca, tu e teus filhos, e tua mulher, e as mulheres de teus filhos”.

Quando Deus criou todas as coisas, sempre existiu a percepção de que tudo que fazia era bom. Entretanto, a corrupção do homem produziu no coração de Deus o sentimento de que o pecado havia destruído a sua melhor criação. O Senhor havia ficado com o coração pesado e com uma imensa tristeza em relação às atitudes que os homens cometiam. Compreendemos que esta expressão de tristeza que o escritor bíblico revela, é uma forma de pensamento que atribui a Deus elementos da natureza humana. Mesmo assim, Deus determinou um novo começo para humanidade e para toda criação, sabendo de antemão, que seus descendentes não teriam atitudes melhores do que a dos seus antecessores. Ainda que Ele conheça o nosso coração, o Senhor sempre tentará nos proporcionar um novo começo. Entretanto, como Ele prometeu a Noé, sem destruição da raça humana. Mas Ele, todos os dias, nos possibilita alcançar a promessa da sua aliança. O que Ele pediu a Noé, também nos pede – a capacidade de renunciar a nossa própria vida para viver a vontade do Pai. Todos os amigos, vizinhos e até a sua própria família não acreditaram no que Noé estava para fazer, mas, mesmo assim, Ele continuou firme no propósito de Deus. Ele sacrificou-se para obter a promessa do Senhor. Este ensino também nos alcança na mesma medida, pois uma vida com Cristo é uma caminhada de sacrifícios, de negação e, principalmente, que permite a transformação do nosso coração e da nossa mente pela vontade de Deus. Um sacrifício que precede o sucesso, um sacrifício que precede a vida, um sacrifício que precede a glória de uma vida na presença do Pai. Talvez, como Noé, precisemos abrir mão de tudo que alcançamos em nossa vida para tomar posse das suas promessas e ter um novo começo, uma nova vida na sua presença. Estamos dispostos a isso?

Senhor querido, nós colocamos a nossa vida e tudo que construímos em tuas mãos para que possas dirigir-nos segundo o teu propósito. Ajuda-nos dando sabedoria para caminhada, força para os momentos de fraqueza e fé para enxergar como tu enxergas. É o que te pedimos em nome de Jesus. Amém!

João 12.26: “Se alguém me serve, siga-me, e, onde eu estou, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, o Pai o honrará”.

Não há como negar este fato: o chamado do cristão é para ser um servo, antes de qualquer coisa. Algumas pessoas ao entregarem sua vida a Jesus têm dificuldade de enxergar este fato com clareza. Se a nossa disposição não for de servir, não teremos forças para encarar os desafios que a vida cristã nos pede. Jesus foi um servo, em nenhum momento Ele reclamou da missão que tinha, apenas serviu o Senhor com alegria. Muitos cristãos buscam as benesses prometidas aos que andam com Cristo, mas esquecem que o maior no reino de Deus é o que serve. A alegria de servir ao Senhor deve ser o motor de nossa vida. A grande dificuldade para encontrar servos fiéis, é por causa da confusão que fazemos sobre a quem e como servir. Muitos acham que servir ao Senhor é servir ao pastor da igreja, a liderança da comunidade, ou que só há verdadeiro serviço cristão dentro de uma comunidade de fé. Todas estas ideias estão equivocadas. O pastor e/ou líder deve ser tão servo, ou mais, do que qualquer outro membro. Não deve ser para eles o nosso serviço, embora devamos honrar os servos que são fiéis. Servimos ao Senhor da Igreja – Jesus Cristo, e não aos senhores que estão na igreja. Segundo, o nosso serviço pode estar sob as ordens, regras, doutrinas de uma determinada instituição, mas, desde que estas estejam sob os princípios que regem a vida de um cristão – a Palavra de Deus. O nosso serviço deve ser realizado para o Senhor e sob os princípios que Ele nos dá em sua palavra. Portanto, Jesus serviu ao Pai, da mesma forma e com a mesma fidelidade, enquanto carpinteiro e quando ensinava a Palavra de Deus às pessoas. Assim deve ser o nosso serviço, onde você estiver, estará Jesus. Não importa se num altar pregando, ou numa cozinha fazendo o almoço de sua casa. Se numa sala de escola bíblica, ou na sala de sua casa ensinando aos seus filhos. Todos devem sentir a sua condição de servo, pois o servo honra em todos os lugares o seu Senhor. Esta condição nos dá o tamanho da nossa responsabilidade como servos de Jesus. Seja na Igreja, seja em casa, no trabalho, na rua, com os amigos, a nossa condição será sempre a mesma – servos do Senhor Jesus. Não há como minimizar esta condição. Para um cristão, servir é seguir a Cristo em todas as situações de nossa vida, pois, só assim haverá honra a ser dada.

Senhor Jesus, ajuda-nos a compreender o real e verdadeiro sentido de ser servo. Que nós possamos compreender a responsabilidade de nosso servir, para que possamos honrar a Ti com as nossas vidas sempre. É o que te pedimos em nome de Jesus. Amém!

Lucas 17.20-21: “Interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino de Deus, Jesus lhes respondeu: Não vem o reino de Deus com visível aparência. Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Lá está! Porque o reino de Deus está dentro de vós”.

Os crentes têm o reino de Deus em seu interior, porque esta é a sua natureza, que é nascida em Cristo Jesus, vinda da parte de Deus. Se tivermos uma natureza governada pelo Espírito Santo de Deus, o Seu caráter se manifestará através de nossa vida. A ideia de reino que Jesus quer passar, se dá em um novo estado do ser humano. Ao invés de um reino de visível aparência, um estado político novo, ele chega até nós através de uma nova condição de vida pessoal, como Ele nos indica: "precisamos nascer de novo". O reino é uma condição interna, e isto requer de nós uma transformação de coração e mente, para que sejamos admitidos nele. Devemos nos preocupar com a nossa própria condição de crente, porque aqueles que estiverem prontos para esta vinda, alcançarão o reino de Deus. Não podemos supor que alcançaremos o reino de Deus nos preocupando apenas com a sua manifestação, quando ele vem, ou como ele vem, mas nos prepararmos todos os dias, perseverantemente, para recebê-lo no meio de nós. A graça é derramada em nossa vida através da presença do Espírito Santo. Os fariseus esperavam e entendiam um reino físico, que pudesse se opor ao reino de Roma, que dominava sobre Israel. Hoje, muitos ainda esperam e, muitas vezes, só o reconhecem, quando há uma manifestação do Senhor através de bênçãos materiais, ou de algo visível em sua vida. Porém, o reino de Deus continua a se manifestar através da presença do Espírito Santo em nossa vida. E o reconhecimento de que estamos nele, é a manifestação dos frutos do Espírito Santo em nossas vidas. Nas virtudes de uma vida governada pelo Senhor, haverá possibilidade de enxergarmos a presença do reino de Deus na terra. É certo que Jesus voltará um dia para buscar a sua igreja, por isso devemos estar prontos para esse dia, porque Ele virá sem que saibamos. Neste dia, todo olho verá a manifestação da sua glória, porém só aqueles que o têm no seu interior, o alcançarão.

Senhor querido, que o teu Espírito Santo nos conduza por tua verdade para que possamos ter a honra e a alegria de ver o teu reino sendo manifesto em nossa própria vida. Ajuda-nos a viver todos os dias de nossa vida para revelar o teu reino na terra e a todas as pessoas, esperando o grande dia da tua volta. É o que oramos em nome de Jesus. Amém!

Lucas 4.33-36: “Achava-se na sinagoga um homem possesso de um espírito de demônio imundo, e bradou em alta voz: Ah! Que temos nós contigo, Jesus Nazareno? Vieste para perder-nos? Bem sei quem és: o Santo de Deus! Mas Jesus o repreendeu, dizendo: Cala-te e sai deste homem. O demônio, depois de o ter lançado por terra no meio de todos, saiu dele sem lhe fazer mal”.

Jesus sai do deserto com toda a autoridade que Deus o havia ungido. Nada poderia resistir ao poder que havia em sua palavra, nem mesmo os espíritos malignos que atormentam os homens. Nada pode subjugar-lhe, nenhum poder, nenhuma potestade, nenhum principado, nem coisas que foram feitas e nem aquelas que ainda serão criadas, nada pode impedir o seu agir. Todo joelho se dobrará à sua presença e toda língua um dia confessará que Ele é o Senhor. Quando Ele nos dá a grande comissão, antes afirma que todo o poder lhe foi dado tanto nos céus como na terra, por isso nos envia para ser sua testemunha neste mundo, com toda a autoridade que Ele tem. Aos que crerem em sua palavra será dado o poder de fazer milagres: expulsar demônios pelo poder do seu nome e de falar novas línguas; se pegarmos em cobras ou bebermos algum veneno, não sofreremos nenhum mal; e se pusermos nossas mãos sobre os doentes, eles ficarão curados. Jesus nos chama a uma nova condição de vida. Quando Ele nos ensina a oração do Pai Nosso, ora ao Pai para que viesse sobre nós o reino do Senhor e que a vontade d’Ele fosse feita na terra, assim como ela é feita nos céus. Ou seja, a vontade de Deus é que todos se transformem à imagem e à semelhança de seu Filho Amado. Portanto, não podemos mensurar e nem limitar a graça de Deus, pois ela é muito maior do que pensamos. O melhor de tudo, é que esta autoridade está à disposição, daqueles que crerem que Ele é o Senhor de suas vidas. A sua promessa é que as nossas obras seriam maiores do que as d'Ele. Porém, para que isso seja possível, precisamos nos entregar de corpo, alma e espírito nesta maravilhosa aventura que ele nos chama a viver. Cristo pode contar com você?

Senhor querido, perdoa a nossa falta de fé e a nossa pouca disposição em te servir. Desejamos as tuas bênçãos, mas não queremos pagar o preço de tomar a nossa cruz e te seguir. Limitamos a tua graça em nossa vida, apenas permitindo que tu tenhas autoridade sobre poucas coisas que trazem influência em nossa vida. Ajuda-nos, porque precisamos de ti. É o que oramos em teu nome Jesus. Amém!

Clipe Quero Descer - Raquel Melo e Nani Azevedo